Sexta-feira, 23 de Janeiro de 2009

E há um ano foi assim(parte VI)...

Quarta-feira, dia 23 de Janeiro de 2008… o dia em que eu e o bebé Duarte saíamos da maternidade… Nunca mais me vou esquecer desse dia… A equipa médica passou a meio da manhã e depois de me examinarem deram-me alta, como eu já esperava… Liguei logo para o papá que fez questão de fazer uma limpeza na casa para receber o nosso pequenino… Eu fiquei á espera que as enfermeiras me fossem dar as explicações que tinha visto darem ás minhas companheiras de enfermaria que foram saindo, mas nada, ninguém aparecia… já eram quase horas de almoço, por isso liguei ao Pedro e disse-lhe para ele ir… já tinha deixado a minha roupa preparada para ele me levar… Como ninguém me ia dizer nada, tomei eu a iniciativa de ir ao gabinete de enfermagem perguntar a que horas poderia sair… disseram-me que tinha de ir ao balcão falar com a administrativa e pedir os meus papeis… quando estava a tratar desse assunto, chegou o papá… levava o saco com a minha roupa numa mãe e na outra a alcofa para trazermos o nosso bebé para casa… Deram-me os papeis e entramos os dois na enfermaria… passou a enfermeira para pesar o Duarte… 3 930kg, tinha perdido 190gr… o que para um bebé que nasceu com 4 120kg era óptimo, pelo que a enfermeira me disse costumam perder muito mais… era sinal que ele mamava bem e ficava satisfeito com o meu leitinho… Fui á casa de banho vestir-me… foi estranho vestir a minha roupa de grávida sem a minha querida barriga… senti que me faltava uma parte muito, muito importante… Vesti a roupinha que tinha escolhido para o dia da saída do Duarte, arrumei as minhas coisas e finalmente saímos da maternidade… depois de 5 longos dias… Foi com alguma dificuldade que consegui chegar ao carro… ainda estava muito dorida e os passos eram penosos… quando finalmente me instalei no carro e o Pedro prendeu o Duarte, lembrei-me que me tinha esquecido do telemóvel na enfermaria… que chatice… o Pedro foi busca-lo num instantinho e eu fiquei a olhar para o Duarte que dormia que nem um anjinho… estava prestes a leva-lo para casa e a realizar um dos momentos com que tinha sonhado á tantos meses… que responsabilidade… quando o Pedro regressou com o telemóvel, rumamos a casa… pelo caminho passamos a buscar a minha mãe que tinha vindo de boleia com um vizinho nosso… chegamos a casa e deparei-me com 42 escadas… as 42 escadas que tenho de subir para chegar ao terceiro andar… algumas subi-as de pé, outras sentada, mas consegui chegar ao terceiro andar e entrar em casa ao mesmo tempo do nosso pequenino Duarte… Nunca, mas nunca vou esquecer o momento em que lhe mudei a fraldinha pela primeira vez em casa, o momento em que o meti pela primeira vez na espreguiçadeira… momentos que qualquer mãe guarda na memória para sempre…

 

Continua…

 

Mais uma aventura por... Ana às 15:43

link do post | deixar pedaços de céu | cuscar pedaços de céu (3) | favorito
|
Segunda-feira, 19 de Janeiro de 2009

E há um ano foi assim...(parte V)

Ás oito da manhã já estava no Barreiro á porta do bloco de partos… depois de uma noite muito mal dormida e de muitos nervos… toquei á campainha e quando abriram a porta entrei… o Pedro ficou do lado de fora com os outros papás… os nervos eram muitos e o medo do desconhecido ainda mais… quando ouvi o meu nome entrei e fui atendida pelo doutor Victor… falamos um pouco, ele viu os meus exames e mandou-me despir para fazer o toque… deitei-me na marquesa, aguentei o toque e no fim ouvi o que já esperava “Estás com 0 de dilatação…”, deu-me metade um comprimido e disse-me que dai a umas horas ia estar aflita com contracções (que animador)… enquanto estou no consultório recebo uma sms da minha mana dizia qualquer coisa como isto… “Estamos a pensar em ti… Força…” ñ aguentei a comecei a chorar… quando saí do gabinete do médico fui para o da enfermeira… tirei a minha roupa e meti-a dentro de um saco de hospital, vesti a linda da bata do aberta atrás e um robe branco… respondi a um breve questionário e fui informada dos prós e contras da Epidural… quando acabamos estes procedimentos dei á enfermeira o saquinho com a primeira roupinha do Duarte e tudo o que tinham pedido… e é aqui que vem a primeira parte chata do dia, o clister… nunca tinha feito nenhum e sinceramente espero ñ voltar a fazer tão depressa… que coisa estranha… Ainda esperei mais ou menos meia hora no corredor até me encaminharem para o quarto nº3… deitei-me na cama e fui ligada ao aparelho de CTG, fiquei a ouvir o coração do meu menino e a ler uma revista… por esta altura já estava mais calminha… pensava que ia enfrentar tudo de cabeça levantada… fui apresentada á enfermeira que ia ficar comigo toda a tarde… uma querida… chamava-se Sandra e nunca me vou esquecer das palavras de apoio e conforto que me deu naqueles momentos em que se senti tão frágil… estive mais ou menos 2h sozinha apesar de ter pedido varias vezes para me chamarem o Pedro, ñ compreendia porque é que ele haveria de estar lá fora… mais ou menos ás 13h passou a equipa médica, 3 no total, e fizeram-me novo toque para ver a evolução… começaram por me perguntar se tinha dores ao que respondi que ñ tinha… o toque confirmou isso mesmo, estava tudo igual, nadinha de dilatação… disseram-me que ia ficar ali muitooooooooooo tempo… e eu que em duas horas já ñ tinha posição para estar… Finalmente chamaram o Pedro e ai o tempo passou mais rapidinho… ficamos a conversar… mais ou menos ás 15h vieram novamente fazer toque para ver a evolução… eu já sabia quando o médico vinha á minha enfermaria porque a senhora que foi internada ao mesmo tempo que eu e estava no quarto nº2 gritava muito com o toque, isso fazia-me ficar tão nervosa… o médico entrou e fez o toque, até então o que mais me custou… já tinham passado 7 horas desde tinha tomado o tal comprimido e mesmo assim nem dilatação, nem contracções… foi ai que reforçaram a dose no soro… segundo eles desta é que era… pedi para fazer xixi, queria levantar-me e ir á casa de banho, ñ compreendia o porque de estar deitada se me sentia bem… mas ñ me deixaram ir, trouxeram-me a arrastadeira, ai como eu detesto fazer xixi na arrastadeira, dá ideia que estou a fazer para a cama… o Pedro ajudou-me e lá consegui fazer… por esta altura já eu tinha feito mil e uma perguntas á enfermeira Sandra… e ela sempre com muita paciência respondia a tudo e dava-me apoio… estava triste por ñ conseguir a dilatação e só pensava que iria estar ali muito tempo… nisto ouvimos a bebé do quarto nº4 a nascer… a mãe também tinha sido internada ao mesmo tempo que eu mas já tinha três dedos de dilatação… quando eu e o papá ouvimos o choro da bebé olhamos para a primeira roupinha do nosso Duarte que estava em cima do berço para onde ele deveria ir quando nasce-se… olhei para a barriga e pedi-lhe para que fosse rápido, que o queria conhecer… quando a enfermeira Sandra voltou ao meu quarto perguntei-lhe como tinha corrido o parto da outra senhora, ela disse que tinha corrido tudo bem e que a Leonor era enorme com 3,800kg, fiquei admirada, mal eu sabia que o Duarte ainda ia ser maior… A equipa médica volta a passar e a fazer toque… e… NADA, tudo na mesma… perguntei ao médico se ia fazer-me uma cesariana ao que ele respondeu que não… estava oficialmente a preparar-me para passar ali muito tempo… O Pedro saiu para comer alguma coisa e eu fiquei ali cheia de fome… ai que só a mim… nisto já deviam ser umas sete da tarde… já me doía o corpo, já me doía a alma… o Pedro voltou da rua e disse-me que tinha ligado a minha irmã e a minha mãe a perguntarem como é que as coisas estavam a correr… ainda fiquei mais ansiosa… vieram novamente fazer toque, o doutor Victor disse-me que sou dura na queda e que estava tudo na mesma… desespero… mas pelo menos também ñ estava a sofrer além de umas dores por estar naquela cama desconfortável… voltaram a aumentar a dose no soro… perguntei á enfermeira Sandra se pela experiencia dela eu ia estar ali muito tempo, ela respondeu que ás vezes as mamãs na minha situação estavam lá 2 e 3 dias… O QUÊ??? O Pedro também já estava cansado de estar ali… Por volta das 20h a senhora do quarto nº2 foi levada para fazer cesariana e eu continuava ali… era a única das 3 que tinham entrado de manhã… Mais ou menos ás 21h a enfermeira Sandra tirou-me o soro para eu ir tomar um duche… antes de me levantar ela deu-me um rebuçado que me soube a pouco porque estava cheia de fome… comi o rebuçado para ñ ter uma quebra de tenção quando me pusesse de pé e enquanto o Pedro foi jantar eu fui tomar banhoca… ai que bem que me soube… voltei ao quarto e a enfermeira ligou-me o soro novamente… fiquei sentada na cadeira onde o Pedro esteve toda a tarde e fiquei ali um bocado sozinha a pensar no quanto a minha vida estava para mudar daquele dia para a frente… o Pedro entra, deviam ser uma 22h, volta a dizer-me que esteve a falar com a minha irmã, com a minha mãe e com mais um monte de gente… que stress… nisto entra o médico… ficou admirado de me ver sentada na cadeira… expliquei-lhe que fiquei ali depois do banho… ele disse-me que ia encaminhar-me para cesariana, porque já tinham passado 15 horas a coisa ñ desenvolvia e além disso pelo CTG parecia que o Duarte já estava a sofrer por causa da indução… o Pedro ficou todo contente… eu fiquei sem saber o que fazer… estava a muito pouco tempo de um momento porque tinha esperado 41 semanas, ia conhecer o Duarte… de repente parece que tinha esquecido tudo… senti-me tão insegura… a enfermeira Sandra entrou e pôs-me a algália, ai custou-me tanto… que raio de invenções… quando terminou deu-me um beijinho e despediu-se, disse-me que o turno dela tinha terminado e que ñ tarda ia chegar uma colega para me acompanhar… tive mesmo pena de ñ ser ela a acompanhar-me na  cesariana, e mais pena tive quando entrou a tal colega, era antipática e rude… começou por mandar o Pedro embora… despedi-me dele com um beijinho e ñ pude evitar chorar… quando ele saiu, para meter conversa disse-lhe “Bem parece que estou a minutos de ser mãe…” ao que ela respondeu “Não foi para isso que cá veio…”... já ñ disse mais nada… Fui pelo meu pé para o bloco com o soro levantado numa das mãos… quando entrei no bloco, despi a bata e deitei-me toda nua… o bloco era gelado e comecei a tossir muito á conta da constipação… veio o pessoal que ia assistir á cesariana, eram 23h30m… uma das auxiliares disse “Mas que grande mulher que temos aqui” ao que outra respondeu “É grande mas não é grande coisa, nem conseguiu parir…”, ai que nervos que me deu ao ouvir isto… Finalmente chegaram as médicas que iam realizar a cesariana e a anestesista… foi difícil dar a raqui… quando esta começou a fazer efeito senti um calor tão bom nas pernas… que bom… as médicas começaram a cesariana… senti cortarem… senti uma mãe dentro de mim… os nervos estavam no seu auge… ia conhecer o Duarte… de repente começo a ouvir muitos coxixos entre as duas médicas… uma delas era estagiária… a médica que estava a fazer a cesariana só dizia que estava difícil, que assim ñ iam conseguir, que ele estava muito subido… ainda fiquei mais nervosa… afinal quanto tempo faltava para conhecer o meu Duarte?? No relógio grande que estava na parece á minha frente marcava 23h 55m…

 

Continua…

 


 

Mais uma aventura por... Ana às 14:22

link do post | deixar pedaços de céu | cuscar pedaços de céu (8) | favorito
|
Domingo, 18 de Janeiro de 2009

E há um ano foi assim...(parte IV)

Dia 18 de Janeiro de 2008… o ultimo dia que passamos sozinhos em casa… Foi dia de limpezas a fundo e de muito, mas mesmo muito nervosismo… O Pedro tinha feito noite no trabalho, por isso dormiu a manhã toda… eu estive no computador e a ver Tv… ñ conseguia concentrar-me em nada tal era o nervosismo… a minha constipação estava melhor, mas ainda me sentia muito em baixo… as noites sem dormir estavam a dar cabo de mim… Fiz o almoço e fui chamar o Pedro… quando terminamos de comer ele começou as limpezas a fundo… casas de banho e cozinha… no resto da casa apenas aspirar e limpar o pó… eu fiz comida para lhe deixar no frigorifico já que ñ sabia quantos dias ia ficar na maternidade… Neste dia chorei muito e ñ sabia bem o porquê… por um lado queria tanto, mas tanto ver a carinha do meu pequenote e conhece-lo, mas por outro lado já tinha saudades daquelas 41 semanas… tinham sido maravilhosas… quando terminamos as limpezas fomos tomar banho os dois (até hoje ñ sei como coubemos os dois no poliban…) quando fomos jantar perguntei ao Pedro “ Como é que achas que estou amanhã a esta hora?” ao que ele me respondeu “ Com o nosso Duartinho nos braços…”, esta resposta deixou-me mais confortada, mas o meu medo de um parto longo e de não saber o que me esperava estava a dar cabo de mim… nessa noite quando o Pedro saiu para trabalhar escrevi esta carta ( que já publiquei aqui no blog)…

" O tempo passou tão rápido, ñ consigo traduzir por palavras todos os sentimentos porque passei nestes quase 10 meses, foste a minha companhia, deste-me pontapés quando me senti sozinha para me fazeres lembrar que ñ o estava, que me acompanhavas noite e dia… vi-te crescer na minha barriga, desenvolveres-te a cada eco… ainda me lembro do dia em que soubemos que vinha um menino, fiquei um pouco chateada, a mãe é mesmo uma tonta maluca…

Amanhã vou conhecer-te e apesar de estar feliz ñ consigo conter as lágrimas… por um lado quero tanto, mas tanto ver-te e segurar-te finalmente nos braços, mas por outro tenho tanto medo… medo do parto, medo de ñ te conseguir pegar bem, medo de não ter leite para te alimentar… já estou outra vez a chorar, que coisa…

Temos tantos segredos só nossos, lembras-te quando adormeci no barco e o marinheiro teve de me ir acordar??, e quando descia a Av. da Liberdade até meio para apanhar o autocarro só para ñ descer e subir as escadas do metro no Marquês… e lembras-te daquela vez que tinha tanta mas tanta vontade de comer canja que ás duas da manhã fui cozer peitos de frango, era deslavada mas souberam-nos tão bem… e lembras-te quando fomos comprar as primeiras roupinhas para ti, foi difícil escolher, só queria dar-te o que de mais bonito havia… lembras-te quando fomos buscar o teu carrinho e o montamos, só te imaginava lá dentro… são tantos segredos só nossos… as vezes em que chorei e só nós soubemos o porquê… as vezes em que ri, para os outros sem sentido, mas para nós havia-o, mas mais uma vez era só nosso… tantos momentos juntos que já te amo sem te conhecer, já te acho o mais lindo bebé sem te ter visto… mas e tu, será que vais gostar de mim, achar-me bonita…

Pergunto-me como estarei amanhã a esta hora… cheia de dores?? contigo nos braços?? feliz?? triste?? Juro-te que ñ queria ter medo, mas tenho, e tenho tanto… desculpa…

Sinto-me em baixo, esta constipação está a dar cabo de mim, tem-me tirado noites de descanso, abriu-me o peito e instalou-se em mim numa altura em que precisava de força para te ter… sinto-me frágil, fraca… será que vou conseguir pôr-te no mundo… o medo é terrível…

Quero despedir-me da minha barriga mas ñ consigo, acho que me vou sentir muito só a partir de amanhã… prometes que me vais acompanhar como até aqui e nunca me vais deixar sozinha? Promete-me, dá-me agora um pontapé para ter a confirmação… então Duarte estou á espera…

 Não sei como estarei amanhã, se já te conheço ou ñ… sei que vai ser um dia cheio de emoções, sei que vou chorar, que vou rir, que vou passar por momentos de aflição e dor… mas sei que vai ser especial conhecer-te… dá-me a força que preciso para ultrapassar isto sem medo… 

Despeço-me com um até amanhã Duarte…

Da mãe que te ama... Ana Gonçalves... "

 

Se há um ano atrás imaginasse a felicidade que iria ter ao ver-te nascer… ao ver-te sorrir pela primeira vez para mim, ao ver-te desenvolveres-te tanto a cada dia que passa nunca iria ter o medo que tive… porque ter-te aqui, assim como és, compensa tudo o que possa ter passado…

 

Continua…

 


 

Mais uma aventura por... Ana às 08:28

link do post | deixar pedaços de céu | cuscar pedaços de céu (5) | favorito
|
Quinta-feira, 15 de Janeiro de 2009

E há um ano foi assim...(parte III)

Faz hoje precisamente um ano que ñ vou ao cinema... Apesar de estar tão constipada e doente(como aliás também estou agora) decidi que nesta ultima semana antes de nascer o Duarte tínhamos de ir ao cinema... sabia que depois ia ser bastante difícil ir, por isso mesmo doente fui... Vim á internet para veros filmes que estavam em cartaz no fórum e as horas das sessões, o Pedro tinha de ir trabalhar ás 20h por isso tinha de ser logo nas primeiras sessões... de todos os filmes que estavam em cartaz escolhemos o "Corrupção"... o Pedro queria vê-lo (ou ñ tivesse o filme a Soraia Chaves) e eu também tinha curiosidade tal era o mediatismo do filme... Como no fórum os horários das sessões ñ batiam com os do Pedro, por isso fui ao site do Freeport ver os horários de lá... acabamos mesmo por ir ao Freeport á sessão das 16h... Quando compramos os bilhetes a empregada da bilheteira elogiou a minha barriga e disse que eu estava uma grávida lida... foi tão bom ouvir um comentário desses de outra mulher, normalmente não temos por habito elogiar outras mulheres... agradeci e entramos na sala... fomos para a ultima fila e escolhemos os lugares do meio... felizmente só foram a essa sessão mais duas ou três pessoas porque passei o filme todo a tossir e a assoar-me(lol)... Gostamos do filme... o papá gostou mais do que eu lol... principalmente a parte em que a Soraia Chaves se masturba para o Nicolau Bryner lol...

 

Continua...

Mais uma aventura por... Ana às 19:10

link do post | deixar pedaços de céu | cuscar pedaços de céu (10) | favorito
|
Quarta-feira, 14 de Janeiro de 2009

E há um ano foi assim...(parte II)

Estávamos numa segunda feira, dia 14 de Janeiro de 2008… era o dia do meu terceiro CTG… lembro-me que quando marquei os CtG´s, três no total, pensei que nunca faria este já que ultrapassaria a minha DPP em dois dias, mas o certo é que lá cheguei… Tinha passado um fim de semana para esquecer com a pior constipação que me lembro de ter tido e com as piores noites que possam imaginar, basta pensarem que para além de já não ter posição para dormir á conta das 40 semanas de gravidez e de uma barriga ENORME havia a constipação, dor de garganta, nariz completamente congestionado sem poder usar nenhum descongestionante… ui, um horror… Neste fim de semana tinha sangrado á conta do toque, mas foi mesmo só esse o efeito secundário do toque… nada de contracções… Tinha dormido sozinha nessa noite porque o papá tinha estado a fazer noite no trabalho… como não conseguia dormir e era penoso para mim estar deitada lembro-me que passei boa parte da noite a pôr os aniversários dos amigos e família na agenda do telemóvel, tarefa que já andava á algum tempo para fazer mas ia sempre adiando… enquanto colocava as datas com os respectivos alarmes para ñ me esquecer de dar os parabéns a ninguém, pensava em que dia seria o aniversário do meu pequeno Duarte… Finalmente o Pedro chegou e foi só tomar banhos e sair rumo ao hospital do Barreiro… ainda paramos no caminho para tomar o pequeno almoço, comi um bolo com creme e muito doce para ver se o Duarte se mexia muito durante o CTG… quando chegamos cedo por isso ainda ñ havia mais nenhuma mamã na sala de CTG… estivemos os 4(eu, o Pedro, a enfermeira e o Duarte) sozinhos durante todo o exame… a enfermeira foi buscar-me um chá quentinho para me ajudar na constipação… mais uma vez ñ se verificaram contracções, mas o batimento cardíaco do Duarte estava bem e apesar do pouco espaço ainda se mexia bastante… era oficial, o meu pequenino gostava mesmo muito do seu T Zero e ñ estava com nenhuma vontade de o deixar desabitado… No fim do exame a enfermeira passou-me um papel para entregar no bloco de partos… dizia mais ou menos o seguinte “ Grávida de 40 semanas + 2 dias  que completa 41 semanas no próximo dia 19 deste mês… é favor marcar indução"…. Despedi-me da enfermeira com quem tinha simpatizado bastante em todos os exames e dirigi-me ao bloco a fim de marcar a indução… assim que toquei á campainha entrou uma grávida em trabalho de parto, já estava com muitas dores e gritava imenso… pensei logo no que me esperava… a administrativa do bloco leu o papel e marcou a indução para o dia 19 de Janeiro… devia estar no bloco ás 8 da manhã com um pequeno almoço leve tomado com pelo menos uma horas de antecedência… para o bloco levar apenas a primeira roupinha do bebé, uma mantinha, uma fralda descartável e uma de pano… para mim nada… Finalmente já havia uma data para o meu bonequinho nascer… faltavam pouco mais de quatro dias e finalmente pensei que estava tão próxima de ser mamã… a mamã do meu Duarte…

Continua...

Nota... obrigada Nadine por me teres corrigido... ás vezes tenho duvidas se o "Á" é ou não de Haver... estive a ver o contexto e realmente tens toda a razão... brigada pela dica...


Mais uma aventura por... Ana às 12:07

link do post | deixar pedaços de céu | cuscar pedaços de céu (10) | favorito
|
Sexta-feira, 7 de Novembro de 2008

Uma carta para ti...

Ontem estava a procurar um papel para escrever a lista de compras que quero fazer no fim de semana e deparo-me com a seguinte carta num bloco que há muito ñ era aberto... foi escrita ás 22h do dia 18 de Janeiro deste ano... estavamos nós a horas de ir para a maternidade para um parto induzido... chorei a lê-la porque ñ me lembrava de a ter escrito, vejam bem como estava, o meu estado de nervos... acho-a bonita e apesar da letra tremida vou guarda-la para um dia mostrar ao Duarte... quero partilha-la convosco uma vez que ñ acompanharam a minha gravidez, atravez dela vão conseguir sentir um pouco do meu estado de espírito na altura...

 

" O tempo passou tão rápido, ñ consigo traduzir por palavras todos os sentimentos porque passei nestes quase 10 meses, foste a minha companhia, deste-me pontapés quando me senti sozinha para me fazeres lembrar que ñ o estava, que me acompanhavas noite e dia… vi-te crescer na minha barriga, desenvolveres-te a cada eco… ainda me lembro do dia em que soubemos que vinha um menino, fiquei um pouco chateada, a mãe é mesmo uma tonta maluca…
Amanhã vou conhecer-te e apesar de estar feliz ñ consigo conter as lágrimas… por um lado quero tanto, mas tanto ver-te e segurar-te finalmente nos braços, mas por outro tenho tanto medo… medo do parto, medo de ñ te conseguir pegar bem, medo de não ter leite para te alimentar… já estou outra vez a chorar, que coisa…
Temos tantos segredos só nossos, lembras-te quando adormeci no barco e o marinheiro teve de me ir acordar??, e quando descia a Av. da Liberdade até meio para apanhar o autocarro só para ñ descer e subir as escadas do metro no Marquês… e lembras-te daquela vez que tinha tanta mas tanta vontade de comer canja que ás duas da manhã fui cozer peitos de frango, era deslavada mas souberam-nos tão bem… e lembras-te quando fomos comprar as primeiras roupinhas para ti, foi difícil escolher, só queria dar-te o que de mais bonito havia… lembras-te quando fomos buscar o teu carrinho e o montamos, só te imaginava lá dentro… são tantos segredos só nossos… as vezes em que chorei e só nós soubemos o porquê… as vezes em que ri, para os outros sem sentido, mas para nós havia-o, mas mais uma vez era só nosso… tantos momentos juntos que já te amo sem te conhecer, já te acho o mais lindo bebé sem te ter visto… mas e tu, será que vais gostar de mim, achar-me bonita…
Pergunto-me como estarei amanhã a esta hora… cheia de dores?? contigo nos braços?? feliz?? triste?? Juro-te que ñ queria ter medo, mas tenho, e tenho tanto… desculpa…
Sinto-me em baixo, esta constipação está a dar cabo de mim, tem-me tirado noites de descanso, abriu-me o peito e instalou-se em mim numa altura em que precisava de força para te ter… sinto-me frágil, fraca… será que vou conseguir pôr-te no mundo… o medo é terrível…
Quero despedir-me da minha barriga mas ñ consigo, acho que me vou sentir muito só a partir de amanhã… prometes que me vais acompanhar como até aqui e nunca me vais deixar sozinha? Promete-me, dá-me agora um pontapé para ter a confirmação… então Duarte estou á espera…
 
Não sei como estarei amanhã, se já te conheço ou ñ… sei que vai ser um dia cheio de emoções, sei que vou chorar, que vou rir, que vou passar por momentos de aflição e dor… mas sei que vai ser especial conhecer-te… dá-me a força que preciso para ultrapassar isto sem medo…
 
 
Despeço-me com um até amanhã Duarte…
 
 

Da mãe que te ama... Ana Gonçalves... "

 

 

Estas palavras já me fizeram recordar tanta coisa, ter ainda mais saudades de dias tão especiais... e ter ainda mais certeza que o mais importante da minha vida é o meu menino...

 

 


 

Mais uma aventura por... Ana às 07:50

link do post | deixar pedaços de céu | cuscar pedaços de céu (26) | favorito
|
Quarta-feira, 5 de Novembro de 2008

Mãe que é mãe...

Já tinha pensado varias vezes fazer este post, nunca o fiz porque depois achava que era ridículo levar tais comentários em consideração, mas agora depois de ver este post da mamã do lindo Miguel, a Sofia do blog "Rotação Terrestre" achei que deveria faze-lo... vamos então a isto...

 

Como já aqui falei varias vezes o Duarte nasceu no Hospital Nossa Senhora do Rosário no Barreiro. Considero que tanto eu como o meu filho fomos muito bem tratados e muito bem acompanhados desde o momento dos CTG´s até á hora em que saímos com alta, mas ñ me posso esquecer de alguns comentários que ouvi de uma ou duas enfermeiras do bloco de partos e de uma colega de enfermaria... quando estava deitada no bloco á espera do anestesista para receber a raqui para a cesariana entra um grupo de enfermeiras e auxiliares que iriam assistir á cesariana, eu estava bastante nervosa mas nunca me vou esquecer de alguns comentários que ouvi, tenho noção que provavelmente foram por brincadeira, para me descontrair um pouco mas o certo é que me tocaram pela negativa... ora como ia dizendo estava eu deitada (como vim ao mundo) e elas entram na sala, diz uma " Ena que grande mulher que aqui temos... é mesmo alta..." imediatamente a seguir diz outra " É grande mas ñ é grande coisa, nem conseguiu parir..." . O outro comentário que me magoou veio por parte de uma colega de enfermaria(que até é conhecida da minha sogra, a filhota dela nasceu no mesmo dia do Duarte mas a meio da tarde)... sempre falei bem com ela, até porque estávamos juntas no mesmo quarto e queria que houvesse bom ambiente, mas já tinha reparado que havia muitas diferenças entre nós... apesar dos poucos anos que nos separam(ela tem mais dois ou três que eu) achei que ela via as coisas de modo muito antiquado, por ex ñ quis levar a epidural por pensar que ficaria com muitos problemas de saúde e lhe dificultaria numa próxima gravidez (????????????), dizia constantemente que o leite dela ñ prestava, não tinha força(palavras dela) e era por isso que a menina chorava muito, apertava a mama e dizia que só saia água mesmo depois de toda a gente(enfermeiras, médicos, eu, outras mães) lhe explicarem que nos primeiros dias era isso, essa água açucarada(colostro) que bastava ao recém nascido...  muitas mais diferenças haviam entre nós que ñ vale a pena estar a citar... até que um dia ela me diz " Mãe que é mãe tem de sentir as dores de um filho a nascer, tu nunca vais ser tão boa mãe como eu..." ora como eu ñ queria estar a chatear-me por respeito ao sitio onde estava e principalmente para ñ estragar o momento mágico que estava a viver só lhe respondi que ia fazer de conta que ñ tinha ouvido, levantei-me e levei o Duarte a passear no berço pelo corredor... apesar de ñ querer estas palavras marcaram-me até hoje... Acho muito estúpido pessoas que pensam assim... é claro que queria ser eu a fazer o meu filho nascer, a primeira a ver o meu boneco, que tivesse sido o Pedro a cortar o cordão e que ele estivesse perto de mim para ver o filho nascer, é claro que ñ me importava de ñ ter sentido as dores que senti no pós operatório, é claro que ñ me importava de ñ ter passado o que passei recentemente á conta da cicatriz da cesariana... ñ me acho melhor ou pior mãe que a de um bebé que nasceu de parto normal, sou a mãe que estou a aprender a ser, se calhar faço muitas asneiras, se calhar não, mas acho que isso ñ tem nada a ver com o modo como o Duarte nasceu... eu e a minha irmã nascemos de cesariana, os meus sobrinhos nasceram de cesariana e tenho tanto na minha mãe como na minha irmã dois exemplo do que considero ser BOA MÃE...

 

Por isso Sofia ñ ligues quando te disserem que ñ és tão boa mãe ou que o Miguel ñ vai ser tão ligado a ti por ñ dares a maminha... eu dou e sinto-me uma felizarda por ter essa bênção, mas ñ consegui ter um parto normal e tu conseguiste... cada uma de nós é a melhor mãe que sabe ser, pena é continuarem a haver pessoas que ñ querem deixar de ser burras...

 

Desculpem se alguma mamã que teve parto normal e pensa assim ler isto e ñ gostar mas é o que penso...

 

 


 

Mais uma aventura por... Ana às 09:17

link do post | deixar pedaços de céu | cuscar pedaços de céu (23) | favorito
|
Segunda-feira, 28 de Julho de 2008

E á seis meses aqui a mamã...

(escrito no fim de semana passado, aquando dos seis meses do Duarte)

 

...estava cheia de dores mas muito feliz....

 

Aqui no blog só contei como foi o parto, nunca contei como foram os 3 dias de internamento que se seguiram... vou então puxar um pouco pela cabeça e contar...

 

Subi para o quarto mais ou menos ás duas da manhã, ia cheia de dores, a anestesia estava a passar e devido ao facto de ter sido aplicada ventosa na cesariana tinha mais dores que as comuns cesarianas... cheguei á enfermaria, estavam lá duas mamãs com as suas princesinhas... o Duarte era o rei do pedaço... uma das mamãs já ia sair nesse dia depois de almoço e a outra tinha sido internada ao mesmo tempo que eu, mas já com 3 dedos de dilatação, por isso teve um parto normal e segundo as enfermeiras era uma "boa Parideira", porque fazia a dilatação muito rápido... mas como ia a dizer, cheguei á enfermaria e fui examinada pela enfermeira e por dois enfermeiros estagiários... nunca tanta gente junta viu a minha pachareca ... segundo a enfermeira, estava toda inchada de tantos toques seguidos durante a tarde, trouxe-me gelo para aliviar, e também me disse que o meu penso da sotura tinha sangue, marcou a linha do limite com uma caneta para ver se continuava a sangrar...

 

Aproveitei para ligar á minha mãe, e mandar um sms á minha irmã que me ligou logo... ficaram todas admiradas por causa do Duarte ser tão grande... a minha mãe queria saber tudo... acho que aprendi com ela a ser mãe galinha...

 

Perguntei se me poderia trazer algo para as dores,trouxeram paracetamol... fiquei desiludida, porque sabia que aquilo não ia servir de muito... enquanto isso o Duarte estava a dormir o soninho dos justos no seu bercinho... um doce de bebé, que durante todos esses dias de internamento nunca chorou... bom mas como eu já previa o paracetamol ñ fazia qualquer efeito... estava a passar pelas horas mais dificeis da minha vida... eram tantas dores que nem sabia onde me doia... como só poderiam dar-me mais alguma coisa para as dores ás 6h da manhã, contei cada minuto... também estava cheia de sede, mas como é lógico não podia beber água...  mais ou menos ás 3h da manhã a enfermeira e os respectivos estagiários vêm ver como estava, mal a enfermeira me destapa vê que o penso da sotura estava cheio de sangue, chamou logo uma das médicas que me tinha feito a cesariana... bem nem me quero lembrar... a médica tira o penso e aperta os agrafos um por um para ver qual era o que vertia sangue... pensei que ia morrer com dores, é certo que ñ tive contracções, ñ sei o que isso é, mas o que passei depois da cesariana deve ser tão mau ou pior... lá descobriu de onde vinha o sangue... não sei bem o que fizeram nessa altura estava maluca com tantas dores... voltaram a colocar o penso, fico ainda com mais dores do que já tinha, peço para me darem mais alguma coisa para as dores e dizem-me o mesmo, que só poderiam dar ás 6h da manhã... tentei abstrair-me do meu fisico ao olhar para o meu bonequinho que dormia ali mesmo ao lado... a enfermeira veio busca-lo para lhe ver a glicémia, como continuava baixinha meteu-o na mama novamente... conforme o Duarte mamava mais dores tinha... e depois ele estava sempre a adormecer, tinha de estar sempre a acorda-lo... e as seis da manhã nunca mais chegavam...

 

Finalmente eram seis da manhã......... como já passava um minuto lol das seis , carreguei na campainha para me darem finalmente alguma coisa para as dores... não gosto de ser chata, e procuro incomodar o minimo possivel mas tive de carregar porque estava realmente cheia de dores... a enfermeira lá me pôs Nolotil no soro... olhava para a bisnaga como a minha salvação... mas comecei a reparar que ñ estava a pingar... que azar pah... atão tanto tempo á espera daquilo e depois não o puzeram bem... ai ai... fiquei á espera que a enfermeira por ali passa-se para ela ver aquilo, não queria estar a carregar no botão novamente... mais ou menos ás seis e meia, já estava a desesperar, lá vem a enfermeira... lá lhe expliquei e ela lá pôs aquilo a correr... e realmente aliviou um pouco...

 

Mais ou menos ás 8h achei que já eram horas de mandar sms e avisar amigos e famíliares da chegado do boneco Duarte... ora a mensagem era mais ou menos assim "Olá, sou o Duarte, nasci esta noite com 4.120kg e 53cm, os papás estão muito felizes, a mamã tem dores mas isso passa..."

 

Queria tanto tomar um banho, mas só me podia levantar depois ao meio dia, quando tinha passado 12h do nascimento do Duarte... disseram-me que me iam dar banho na cama... a meio da manhã já estava novamente aflita com dores... percebi que não havia analgésico que me valesse, só mesmo o tempo...

Ao meio dia e tal depois do tal banho lá me levantaram... bom... comecei a suar frio a ver tudo a rodar... a sentir-me tão mallllllllllllllllllllllllllllll.... se não me agarrassem rápido tinha caído ao chão... quase, quase desmaiava...

 

Quando o Pedro chegou á uma da tarde estava ainda muito mal disposta e sentia-me muito mal sentada... andar era mentira, dava-me uma dor horrivel que a principio pensei ser na costura, mas depois de ser examinada a enfermeira explicou-me que na cesariana tinham esforçado um tendão... e que ia demorar uns dias a passar...

 

O pedro mal chegou começou logo a cuidar do filhote, cortou-lhe as unhas, mudou a fraldinha, aspirou o narizinho... fiquei a ama-lo ainda mais, por ele estar a cuidar tão bem do meu bonequinho lindo...

 

A tarde lá se passou, entretanto uma das minhas companheiras de quarto teve alta... as minhas dores continuavam... recebi algumas visitas... e ás 20h o Pedro teve de vir embora... e ai bate um pouco de tristeza... mas olhava para o Duarte e tudo passava...

 

A noite não foi facil, continuavam as dores, e andar era dificil por causa do tal tendão... O Duarte dormia o tempo todo e nem acordava para mamar, por isso fiz eu o horário de três em três horas e meti o despertador do tlm... mas mesmo assim ele só mamava 10m outras vezes menos... as enfermeiras queriam a toda a força que ele mamasse durante 30 minutos... diziam que tinha de o acordar, de lhe tirar a roupa... eu sei lá... mas não haia nada a fazer, era aquele tempo e pronto... e sempre foi assim, o Duarte nunca demorou mais de 10m a mamar, e só de uma mama por mamada... começaram a deixar de me chatear quando depois da mamada iam fazer o teste da glicemia e estava bem...

 

A segunda feira chegou, queria levantar-me e andar de um lado para o outro como via fazer, mas não dava, segundo a enfermeira, o problema era mesmo o tendão, porque segundo ela já era para andar mais ou menos... ir tomar banho nessa manhã foi uma aventura... cheguei com muita dificuldade á casa de banho, e ainda com mais dificuldade tirei a roupa... depois de estar prontinha para o banho, lembro-me que me tinha esquecido das minhas coisas na enfermaria................. CARAÇAS................. bom tive de me vestir de novo, e ir tentar buscar as minhas coisas, mas cheguei á cama e tive de me deitar um bocado e só ao fim da manhã fui tomar a banhoca... Á uma como sempre lá estava o Pedro para passar a tarde connosco... nessa tarde saiu a outra senhora que estava comigo, mas entretanto já tinha entrado outra que teve no domingo ao fim da tarde e acabou por sair na terça, ainda antes de mim...ao fim da tarde mais visitas... todos achavam o Duarte lindo e parecido com o pai... como não podia deixar de ser...

 

Nunca me vou esquecer que o Duarte dormia quase o tempo todo, e as visitas queriam vê-lo de olhos abertos, mas não havia nada a fazer... e não é que uma das enfermeiras estagiarias que por lá andava num dos dias chegou ao pé de nós e disse "mas será que não vou ver os olhos deste borracho??"... e começou a despi-lo, até ai tudo bem, elas ás vezes faziam isso para os bebés espertarem... como com o Duarte isso não resultava, avisei-a logo... diz-me ela "mas ñ vou só despi-lo, vou também molhar-lhe os pés com água fria"... mal acaba de o dizer, agarra no puto e leva-o até á torneira do lavatório... abre a torneira e toma lá morangos... bem fiquei pa morrer... disse-lhe para mo trazer, que se ele queria dormir era deixa-lo dormir... fiquei orgulhosa do meu bonequinho, porque nem assim abriu o olho pa maluca da estagiaria... tou a brincar ela aé era super simpática... mas que não lembra a ninguem ir molhar os pés de um recem nascido com água fria, isso é verdade...

 

Na terça foi mais ou menos o mesmo dos outros dias, já estava um pouco melhor... passei a tarde com o papá, fui examinada e o Duarte também, o Duarte teve alta e aqui a mamã não, por isso ficamos até quarta...

 

Na quarta estava desejosa por passar a equipa médica para finalmente me dar alta... tive alta ás 10h mais ou menos mas só saí de lá depois das 14h... os papeis nunca mais estavam prontos... o Pedro passava o tempo a ligar para saber se já podia ir... tinha passado a manhã a fzer limpezas... contrariamente ao que tinha visto fazer com as outras companheiras de quarto que tinham ido embora a mim não me vieram explicar nada... estavam com mais trabalho nesse dia... mas gostava que me tivessem explicado algumas coisas que depois tive de aprender sozinha... como por ex o que fazer quando subisse o leite... passaram a pesar o Duarte, estava com 3.930 kg, tinha perdido 190 gr, segundo eles era optimo...

 

Mais ou menos ás 14h saímos da maternidade, eram tantos sentimentos, era tanto o medo... era tanta a FELICIDADE... o Duarte ia para casa, para a nossa casa...

 

Quando chegamos a minha mãe também estava a chegar da terra, veio passar uma semana e meia connosco para me ajuadr um pouco...

 

Foi tão bom entrar em casa com o Duarte, e sentir que esta casa que até aqui era o nosso ninho, passou a ser assim, sem mais nem menos um ninho de três...

E é tão bom ter o nosso Duarte...

 

Estes seis meses passaram rápido... foram os seis meses em que menos dormi, em que mais chorei, em que mais preocupações tive... Mas foram sem duvida os seis meses mais lindos e felizes da minha vida...

 

Amo-te cada dia mais filhote...

 

Ficam algumas fotos da maternidade... 

 

Nem reparem na minha figura... estava com mau aspecto...

 

Apesar de terem sido dias complicados tenho saudades... foi muito especial conhecer o Duarte...

 

 

 


 

Mais uma aventura por... Ana às 00:43

link do post | deixar pedaços de céu | cuscar pedaços de céu (12) | favorito
|
Quinta-feira, 19 de Junho de 2008

O parto...

Gostava de vos contar como foi o parto…

 

OS DIAS ANTES

 

 

No dia 28 de Dezembro fui fazer o  primeiro CTG, e como já previa ñ tinha contracções nenhumas e o Duarte continuava muito subido, ou seja avisaram-me logo k seria um bebé de 2008…

 

Uns dias depois de começar o ano tive o segundo CTG, e apesar de já estar com quase 39 semana, nada de contracções e o Duarte continuava muito subido, colo do útero completamente fechado… e foi nessa semana que apanhei talvez a maior constipação da minha vida, fiquei mesmo muito mal, a garganta toda inflamada, o nariz muito congestinonado, conclusão as duas semanas k me restaram foram um verdadeiro suplicio…

 

No dia 14 de Janeiro tinha o meu ultimo CTG, quando já ultrapassava a DPP em dois dias, mas no dia 11 não aguentei e tive de ir ás urgências, não descansava de noite a tossir, não respirava nada pelo nariz de tão entupido k estava, tinha febre… bom lá vou eu ás urgências ao Barreiro… a médica disse que teria de tomar antibiótico, fiquei logo toda lixada… em toda a gravidez não tomei nem um único medicamento, tive tanto cuidado e agora no fim, quando estava quase a chegar ao fim da longa caminhada é que tinha de me acontecer aquilo… fez-me o toque (dias depois percebi que foi mais um toquezinho ;) e o colo continuava fechado… enfim lá fui com a receita para aviar e sem sequer me passar um xarope… as coisas foram piorando e quando chegou o dia 14 e fui fazer o CTG já nem conseguia falar e já tinha mais de uma semana de noites sem descansar… O CTG continuava igual aos outros, total ausência de contracções, por isso decidiram que se iria marcar a indução… estávamos numa segunda feira e decidimos marcar para o sábado seguinte, dia 19, por duas razões, primeiro porque era o dia em que completava 41 semanas e segunda para ver se a constipação melhorava um pouco e o antibiótico fazia algum efeito…

Esses dias foram horríveis para mim, não sei mas o medo e o estado debilitado em que estava apoderaram-se de mim, ninguém me podia dizer nada, a minha cabeça estava a mil á hora… nem sei como vos explicar o que senti nessa semana…

 

Eu que sempre desejei que tudo acontece-se normalmente, tinha de ir para uma indução… Comecei mesmo a stressar muito, e depois também não me sentia melhor, tudo isto junto fazia com que a minha cabeça só pensa-se  disparates… não sabia o que ia acontecer, conhecia histórias de induções que tinham durado dias e dias…

 

O DIA DA INDUÇÃO…

 

O dia 19 de Janeiro chegou, e lá fui eu, no dia anterior, foi dia de limpeza a fundo em casa, para estar tudo ao mais alto nível para receber o Duarte…

Ia muito concentrada nos meus pensamentos, não sabia quando voltaria a passar no caminho de volta a casa, olhava para tudo já com saudade…

Chegamos finalmente ao Barreiro, deviam ser mais ou menos 8h30m, ainda era cedo por isso ainda fui comprar umas revistas para me acompanharem nas minhas horas de seca…

Ás 9h toquei á campainha do bloco de partos, também estava lá á porta outro casal, que por acaso o Pedro até conhecia, a porta foi aberta, dar beijinho ao Pedro e entrar…

Fui examinada, continuava sem dilatação nenhuma, o médico deu-me um comprimido para iniciar a indução, nessa hora que estava com o médico recebo uma msg da minha irmã que esta na Suiça, dizia para ter força e que estavam a pensar em mim… ali naquele momento e a querer fazer-me forte á frente do médico desde o inicio da consulta não aguentei e desatei a chorar tudo o que não tinha chorado os dias anteriores para não dar parte fraca… o médico lá me despachou pa enfermeira para os procedimentos normais nestes casos… nesta altura já estava um pouco melhor da constipação, mas continuava com tosse…

Deviam ser mais ou menos 11h quando entrei para a sala de dilatação, no Barreiro são salas individuais e em caso de parto normal é também nessa sala que acontece… ali estava eu a ouvir o coração do meu Duartinho e a rezar pa tudo correr bem… o Pedro ainda não estava comigo e sentia-me muito sozinha… lembro-me de olhar muitas vezes para o saquinho que levava com o primeiro conjunto de roupinha do Duarte e de já ter saudades da barriga e dos pontapés do meu amorzinho…

Mais ou menos ás 13h passa a equipa médica para fazer toques e ver o estado da coisa… comigo tudo na mesma, reforçaram a dose do soro para ver o desenvolvimento e perguntei pelo Pedro… eles lá o chamaram, ai descontrai um pouco, já tinha alguém para falar, e para partilhar o meu desespero por não haver desenvolvimentos…

Pouco depois do Pedro vir para lá, ouvimos uma Leonor a nascer, ainda ficamos mais stressados, para quando a nossa vez…

A tarde passou, nasceram mais bebés, fizeram-me não sei quantos toques… e nada, nada de dilatação… mais ou menos ás 21h perguntei á enfermeira o que pensavam fazer comigo,  ela disse k não sabia mas que á dias naquela mesma enfermaria, esteve uma outra mamã na mesma situação que eu mais ou menos 3 dias… bem entrei em parafuso, já me doía o corpo de estar deitada, já me doía tudo de tantos toques… já estava a dizer mal da minha vida, quando a enfermeira, que era um amor, vem e me diz pa me levantar pa ir tomar uma banhoca, já que a coisa estava atrasada… o Pedro foi ver da janta e eu lá fui á banhoca… despedi-me mentalmente da minha querida barriga, e pedi muito ao Duarte para nascer rápido… mais ou menos por volta das 22h30m, vem o médico, faz o toque e nada de novo… ele disse k nunca tinha visto nada assim, porque eu nem contracções tinha… como os batimentos do Duarte já não eram tão regulares decidiram-se por cesariana…

 

O PARTO

 

 

Deviam ser perto das 23h 15m quando me vieram buscar, despedi-me do Pedro e fui pelo meu pé para o bloco. Esta parte até nascer o Duarte para vos contar com exactidão não sei se consigo, porque devido ao medo, á ansiedade e ao facto do Pedro não estar comigo, mas vou tentar… Quando entrei no bloco, tiraram-me a camisa sexy aberta atrás lolol… e lá fiquei deitada como vim ao mundo, sempre a tossir e com um frio do pior… a anestesista nunca mais aparecia já passavam das 23h 30m quando veio, já eu estava mais que gelada… não espetou a agulha á primeira, nem á segunda, bem são momentos de desespero, e eu cada vez a tossir mais… lá conseguiu dar a anestesia, e finalmente senti um calor maravilhoso nas pernas… também me lembro que tinha os braços abertos com alguns aparelhos, e estava a levar oxigénio para o Duarte, o que ainda me esta a dificultar mais a respiração, que já não era grande coisa por causa da constipação… lá veio a equipa médica… o stress era cada vez maior, nem sei como explicar, era um aperto no peito por um lado só queria que tudo estivesse bem com o meu Duarte, por outro tinha tanto medo…

A cesariana iniciou-me mas devido ao facto do Duarte estar muito subido, vieram duas enfermeiras para a minha barriga empurra-lo… só ouvia a médica dizer, que estava difícil, que ele era muito grande e ñ ia sair assim… depois foi tudo muito rápido, lembro-me de ter sentido um grande shuakk que soube depois ter sido quando a ventosa puxou o Duarte, só vi sangue por todo o lado, e mal olhei para o lado vi o meu Duarte pela primeira vez…No relógio marcava 00h 05m… nem sei o que senti, já estava em lágrimas, só conseguia olhar para ele e observar tudo o que lhe faziam e se estavam a cuidar bem dele… fiquei completamente admirada quando soube o peso 4.120kg e 53cm, nunca imaginei que fosse tão grande… O índice de apgar, reflectiu que o Duarte já não estava muito bem, foi de 4 ao primeiro minuto, 7 ao quinto minuto e mesmo aos 10 minutos ainda não tinha os 10, mas sim 9… mal o vi porque vestiram-no e levaram-nos um pouco para a ser aquecido… depois a parte de cozer foi uma aventura, a médica bem queria cozer, mas eu ñ parava de tossir… foi engraçado foi…

Quando passei para o recobro, vi o Duarte dentro da encobadora…

Ali fiquei no recobro mais de 1h 30m, sem ninguém ir ao pé de mim, estava a ouvir de som de fundo, uma cigana a parir, e não fosse a preocupação que tinha com o Duarte e as dores devido á anestisia que estava a passar, teria achado muita graça ás expressões da cigana… deveria ser uma e tal da manhão quando vem finalmente a enfermeira, lá lhe perguntei plo Duarte, ela disse que o ia buscar, também lhe perguntei se já o tinham ido mostrar ao Pedro, disse-me que não tiveram tempo… imaginei como ele devia estar… lá trouxeram o meu bonequinho lindo, e foi ali que lhe toquei pla primeira vez, e o beijei… a enfermeira disse que ele tinha a glicemia muito baixinhapor isso tinha de mamar… e ele, mamou, e mamou bem… agarrou logo na maminha com convicção, pedi á enfermeira para r chamar o Pedro, queria que ele conhecesse o filho, disseram-me que ia subir para a enfermaria por isso ele k estava na sala de espera já nos ia ver…

Quando ele chegou ao pé de nós, disse para pegar no Duarte, teve medo… mas via-se que estava emocionado… lá subi, ele veio para casa, só voltou a ver o Duarte ás 13h desse dia… depois, depois é outra história, a nossa história a três que espero que acompanhem aqui no meu cantinho….

Foi um parto como tantos outros, para mim foi especial, afinal foi o meu…

Senti necessidade de partilha-lo convosco porque sempre adorei ler as descrissões que fazem dos vossos…

 

Ficam as fotos do bonequinho quando nasceu...

 

Estas foram no dia do nascimento á tarde...

 

 

 

 

 

Esta já foi no dia seguinte, dia 21... estava ele nas pernocas da mãmã...

 

 

 

Já tenho saudades destes dias, só de olhar para estas fotos... meu amor pequenino e lindo...

 


glitter-graphics.com

sinto-me:
tags:
Mais uma aventura por... Ana às 09:31

link do post | deixar pedaços de céu | cuscar pedaços de céu (9) | favorito
|

.Obrigada pela visita e voltem sempre...


glitter-graphics.com
Ana Goncalves

Cria o teu cartão de visita

.Barrinha...

Lilypie Third Birthday tickers

.Dezembro 2012

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

.Ultimas aventuras...

. E há um ano foi assim(par...

. E há um ano foi assim...(...

. E há um ano foi assim...(...

. E há um ano foi assim...(...

. E há um ano foi assim...(...

. Uma carta para ti...

. Mãe que é mãe...

. E á seis meses aqui a mam...

. O parto...

.O que já passou...

. Dezembro 2012

. Junho 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Março 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Novembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

.tags

. todas as tags

.links

.mais sobre mim

.Ás kuantas ando...


Birth Announcements

.Gosto de visitar e de aprender com...





BabyBlogs BabyBlogs selobaby2 Agenda dos Miúdos

.Vamos falar...



adopt your own virtual pet!

LCD Text Generator at TextSpace.net
Ana Goncalves

Cria o teu cartão de visita